Temas quentes

A Tailândia está a tentar acelerar a regulamentação dos casinos, o que poderá desagradar aos casinos dos EUA

A Tailândia quer uma aprovação mais rápida dos casinos, o que pode desagradar aos operadores americanos.

FitJazz
7 de Jun de 2024
2 min ler
Notíciascasino
O Grand Palace em Banguecoque, Tailândia. O país está a tentar acelerar o processo de aprovação dos...
O Grand Palace em Banguecoque, Tailândia. O país está a tentar acelerar o processo de aprovação dos casinos, mas os analistas receiam que os regulamentos desencorajem os operadores americanos.

Atenção!

Oferta limitada

Saiba mais

A Tailândia está a tentar acelerar a regulamentação dos casinos, o que poderá desagradar aos casinos dos EUA

O Primeiro-Ministro tailandês, Srettha Thavisin, quer aparentemente que os responsáveis políticos e o Ministério das Finanças trabalhem no sentido de acelerar o processo de legislação sobre os casinos, para que possa dar a sua aprovação às salas de jogo no país. No entanto, alguns analistas receiam que a regulamentação não seja suficientemente atractiva para atrair os grandes operadores americanos.

De acordo com o The Bangkok Post, pelo menos cinco locais na Tailândia estão a ser considerados para se tornarem as primeiras salas de jogo do país. Entre elas, duas em Banguecoque, uma no Corredor Económico Oriental, uma em Chiang Mai e uma em Phuket.

Srettha Thavisin está ansioso por que o projeto de lei sobre os casinos chegue à sua secretária o mais rapidamente possível, para que a construção da primeira sala de jogo possa começar de imediato. Esta medida poderá ajudar a Tailândia a vencer o Japão na corrida para a abertura da primeira estância integrada, com o objetivo de a abrir antes do lançamento do MGM Osaka, previsto para 2030.

Os potenciais intervenientes no mercado do jogo da Tailândia

À medida que o burburinho em torno da Tailândia como potencial centro de jogo cresceu nos últimos anos, também cresceu a especulação sobre quais as empresas de jogo que poderiam estar interessadas em operar no país do Sudeste Asiático. Algumas dessas empresas incluem a Las Vegas Sands, a MGM Resorts International e a Wynn Resorts - todas elas já presentes em Macau. A Sands também gere uma das duas estâncias integradas em Singapura. No entanto, alguns especialistas sugerem que a regulamentação da Tailândia em matéria de casinos poderá ser menos atractiva para os operadores americanos.

"A Tailândia está ainda numa fase muito precoce do processo para avaliar se o Wynn poderá vir a participar", disse na semana passada o analista Vitaly Umansky, da Seaport Research. "A nossa opinião é que o mercado não estará pronto para a participação dos operadores regulamentados dos EUA".

Os próprios operadores norte-americanos não fizeram quaisquer comentários oficiais sobre as suas preocupações relativamente à Tailândia, mas alguns especialistas acreditam que o mercado de casinos do país terá provavelmente um ambiente regulamentar mais relaxado do que aquele a que os operadores estão habituados nos mercados onde operam atualmente.

Possível atração das taxas de imposto sobre os casinos na Tailândia

Embora possa haver hesitação por parte das empresas de jogo sediadas nos EUA relativamente aos regulamentos dos casinos da Tailândia, as taxas de imposto potencialmente mais baixas podem ser um atrativo. Os especialistas prevêem que a Tailândia cobrará um imposto de 17% sobre a receita bruta do jogo (GGR), que é a mesma taxa que a de Singapura. Esta taxa de imposto colocaria também a Tailândia em concorrência direta com as taxas de imposto sobre os casinos previstas pelo Japão.

O número exato de centros de entretenimento a autorizar ainda não foi determinado, mas é evidente que cada um deles exigiria um investimento significativo de, pelo menos, 2,75 mil milhões de dólares. Trata-se de um montante viável para muitos gigantes mundiais do jogo.

As previsões sobre o número de casinos que a Tailândia poderá permitir variam entre cinco a oito e até 20. Embora este último número pareça demasiado elevado, existe sem dúvida um potencial significativo de crescimento económico neste sector.

Leia também:

Atenção!

Oferta limitada

Saiba mais